top of page
tranzine.gif

Edição #9
Rio de Janeiro, 2006

By Lana Hosser

Entrevista com Luciano Vianna, DJ e promoter da festa carioca PLOC

Desde os primórdios até hoje em dia

Banda de Guarulhos que vem agitando a cena metal brazuca

A década que mudou o mundo

Carlota Joaquina feelings...

Combatendo o puritanismo cultural

podcast.jpg
DKANDLE_Tranzine.jpg

“DKANDLE tece paisagens sonoras transcendentes vibrantes e multicoloridas, misturando texturas Shoegaze difusas e reverberantes, meditações Dream Pop hipnotizantes, tons Grunge lamacentos e tensões Post-punk temperamentais, intensificadas com lirismo comovente e vocalizações emotivas e pensativas”

chipset_zero_edited.jpg
Confira abaixo a entrevista com o Jamil, baterista do Chipset Zerø, exclusiva para o Tranzine!

TAGS: bandasentrevistamúsicarockundergroundvídeos

TRANZINE - Qual o significado do nome da banda?
Jamil - Bom, o nome da banda não significa algo, é apenas a junção de dois nomes que para nós representa algo, chipset (a máquina, o computador) e zero (o homem, deixado de lado), então unimos os dois nomes e formamos o conceito "Chipset Zerø".

TRANZINE - O que acha do termo nu metal, dado para bandas como Korn, Limp Bizkit, Slipknot etc? O Chipset Zerø poderia ser considerado um grupo nu metal?
Jamil -
 Bom, o termo não é bem atual, estamos falando de bandas que tem 6 anos de trabalho como o Korn... O nome newmetal é para especificar uma renovação do metal... que antes era apenas chamado de crossover ou rapcore, agora é chamado de new metal, creio que newmetal é mais um monte barreiras que estão sendo quebradas na música... e isso é muito rico pra todos tanto para o público quanto para os músicos... Chipset Zerø, bom, podemos chamar sim de newmetal porque não temos medo de mesclar diversos estilos...

TRANZINE - Você acha que existe preconceito por parte da mídia e do público de bandas brasileiras que cantam em inglês?
Jamil - Creio que nunca houve preconceito por parte do público de bandas cantarem em inglês, ademais o rock veio dos países que falam inglês, há um preconceito sim das gravadoras nacionais em lançar bandas que cantam em inglês... As vantagens de se cantar em inglês é que é uma língua quase universal.

TRANZINE - Onde e qual foi o

melhor show que vocês já fizeram?
Jamil - Bom, somos uma banda

nova... não temos muita estrada, mas

já estivemos na Argentina e acho

que lá que tivemos o melhor show

até hoje ao lado do Mortification.

TRANZINE - Quais os temas abordados nas letras da banda? Quem escreve?
Jamil - São diversos temas, alguns pessoais, outros sobre o conceito homem e máquina... a realidade dos dias que vivemos experiências, é isso... sinceridade... Bom, o Shark escreve, mas o conceito é meio que geral, sentamos e discutimos sobre a ideia e assim nascem as letras, e agora o Shucky também está escrevendo.

TRANZINE - Qual a sua opinião sobre maconha? Deveria ser legalizada?
Jamil - É fácil.... você já viu alguém abrir um B.O. em que diz que bateu o carro porque estava fumado ??? Ou que espancou uma mulher porque tinha fumado maconha??? Bom eu não conheço... Na minha opinião deveria ser legalizado, porque arrecadaria impostos e acabaria com o tráfico que é o que gera a violência nas favelas...

TRANZINE - O que você acha de programas como Programa do Ratinho, Big Brother e Caldeirão do Hulk?
Jamil - Tenho vergonha da TV... Não assisto TV fazem 2 anos... e me sinto mais puro... de verdade!!! Só assisto MTV e desenhos...

Você é fã do Chipset Zerø? Contra pra gente nos comentários abaixo

página anterior: LINHA DO TEMPO DA MÚSICA ELETRÔNICA
próxima página: OS ANOS 60

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR:
bottom of page