top of page
Tranzine logo
TRANZINE PODCAST
DKANDLE

“DKANDLE tece paisagens sonoras transcendentes vibrantes e multicoloridas, misturando texturas Shoegaze difusas e reverberantes, meditações Dream Pop hipnotizantes, tons Grunge lamacentos e tensões Post-punk temperamentais, intensificadas com lirismo comovente e vocalizações emotivas e pensativas”

INFORMATION SOCIETY

What's On Your Mind, Repetition, Think, How Long... Estes são os nomes de apenas alguns dos hits do INFORMATION SOCIETY. Você provavelmente já ouviu pelo menos uma dessas músicas, a não ser que você tenha estado fora do Brasil no final dos anos 80 / início dos anos 90.

O Information Society, ou InSoc para os íntimos, era um trio quando eles foram ao Brasil no Rock In Rio II, em 1990. Inclusive eu fui no Galeão e peguei um autógrafo do vocalista Kurt Harland... Na época dessa entrevista, a banda era formada somente por KURT HARLAND e pelo novato STEVE SEIBOLD. Eles lançaram um álbum juntos, DON'T BE AFRAID, cujas músicas soam bem mais sombrias do que as anteriores.

Eu conversei com o Kurt Harland, numa entrevista exclusiva para o Tranzine, em 1997. Abaixo, você poderá ler as melhores partes da nossa conversa.

Denis Kandle

TRANZINE - Esta é uma pergunta que tenho certeza que todos os seus fãs gostariam de saber: o que realmente aconteceu com Robb e Cassidy (ex-membros)? Vocês ainda se falam? (EDIT 2024: A banda se reuniu novamente vários anos após esta entrevista, inclusive fizeram shows no Brasil e tocaram no Programa do Faustão).
KURT - O Paul decidiu que queria voltar para a faculdade. Ele se mudou pra Minneapolis e tem dois filhos agora. Mais recentemente ele se mudou pra Los Angeles. E o Jim se mudou pra Oregon e está trabalhando num armazém.

TRANZINE - Qual a importância da atual onda electronica nos EUA para o InSoc?
KURT - Não tem muita importância. O InSoc não é Electronica, apesar de que nós sempre termos sido uma banda orientada por [instrumentos] eletrônicos. A Electronica não é nada além do techno desse ano.

TRANZINE - Qual o rumo que a música está tomando? É o fim do rock'n'roll como nós o conhecemos?
KURT - Eu não tenho a MENOR idéia. Estou muito envolvido em fazer a minha própria música para estar numa posição de ter uma perspectiva sobre o caminho da música.

TRANZINE - Como você imagina que a indústria da música será no futuro?
KURT - Eu acho que as vendas eletrônicas através da Internet irão combinar com os equipamentos de gravação digital de baixo-custo, o que vai facilitar para QUALQUER UM lançar um disco. Como resultado, serviços que peneiram e proporcionam algum tipo de reconhecimento-artístico irão se tornar mais e mais importantes. A companhia de discos do futuro vai estar mais para uma firma de relações públicas do que para um espaço onde se fabrica e se despacha plásticos. Também, os shows ao vivo se tornarão mais e mais importantes para se distinguir os artistas verdadeiros daqueles que simplesmente gravam alguma coisa em casa e põem para vender pela Internet.

TRANZINE - O seu novo material está bem mais dark agora. Qual tem sido a reação dos seus fãs? 

KURT - Bem, eu só tenho ouvido reações positivas. Mas eu tenho certeza de que muitas pessoas que ouvem dizem "Tá diferente, não gostei...", mas eu nunca ouço nada dessas pessoas.

'Don't Be Afraid' album

TRANZINE - Você curte rock? Tem alguma banda que particularmente goste?
KURT - Bandas se rock? Sim... Eu gostava bastante do Aerosmith, Sweet, Jethro Tull e Pink Floyd quando eu era mais jovem... Mais recentemente, eu gosto muito do novo trabalho do Ozzy Osbourne e do Jesus Jones e do Marilyn Manson etc.

TRANZINE - Você ainda tem muitos fãs no Brasil - alguma chance de tocar por lá de novo?
KURT - Sim! Eu espero estar lá em 98. Estou aguardando assinar um contrato com a Spotlight Records.

TRANZINE - Qual foi o melhor show do InSoc na sua opinião?
KURT - 1982, Minneapolis, Minnesota (EUA), no teatro Smik-Smak. Não tínhamos dinheiro, mas fizemos esse show e filmamos tudo e foi muito legal.

TRANZINE - Qual a sua opinião sobre a maconha? Deveria ser legalizada?
KURT - Não. Definitivamente não. Fumar qualquer coisa é ruim para a saúde. Eu odeio cigarro, e eu odeio maconha. As pessoas que fumam baseado ficam lerdas e se tornam inúteis. Ick.

TRANZINE - Você frequenta festas techno?
KURT - Recentemente, eu tenho ido a bastantes clubes aqui em San Francisco... mas eu não ia muito quando era mais jovem.

 

INSOC OFFICIAL WEBSITE:
http://informationsociety.us/

Você é fã do Information Society? O que achou da entrevista? Comente abaixo

página anterior: FOO FIGHTERS
próxima página: KORN

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR:

Luciano Vianna

PERGUNTAS BÁSICAS
Entrevista com Luciano Vianna, DJ e promoter da festa PLOC

Viva a Música Digital!

O mp3 chegou para ficar e a indústria fonográfica precisa se adaptar 

Tranzine logo

Edição #1
Londres, 1997

Kurt Harland

TAGS: bandas, entrevista, música, música eletrônica, vídeos

bottom of page