top of page
tranzine.gif

Edição #12
Rio de Janeiro, 2009

podcast.jpg
DKANDLE_Tranzine.jpg

“DKANDLE tece paisagens sonoras transcendentes vibrantes e multicoloridas, misturando texturas Shoegaze difusas e reverberantes, meditações Dream Pop hipnotizantes, tons Grunge lamacentos e tensões Post-punk temperamentais, intensificadas com lirismo comovente e vocalizações emotivas e pensativas”

ENTREVISTA COM

MARIO BROSS

TAGSbandasentrevistamúsicarockundergroundvídeos

O Wry é uma banda de Socoraba que nasceu em 1993, formada por quatro brasileiros que tiveram o sonho de ir morar em Londres e tocar por aquelas bandas, e eles fizeram isso, tendo morado lá por vários anos. Quando eu estive lá, em 2004, tive a oportunidade de ver um show deles, e devo confessar que os caras me arrepiaram! O show é muito energético, com muitas músicas de qualidade. Tive o prazer de entrevistar o Mario Bross, vocal e guitarra da banda, enquanto a banda vivia em Londres. Confira abaixo!

TRANZINE - Como vocês foram parar em Londres?
Mario - Foi um sonho desde quando nem sabíamos tocar... Sempre quisemos alugar um navio, cruzar o oceano num cruzeiro e portar em Londres. Deu certo e aqui estamos disputando nosso lugar. Não sabíamos como iria ser, só que iria ser difícil, mas é difícil assim como em todo o lugar, mas as coisas estão super bem, como se um anjo viesse e tocasse do nosso lado quando estamos no palco... é mágico!

TRANZINE - O que significa Wry?
Mario - Significa amor, loucura, amizade e rock'n'roll... Num ponto de vista irônico, estranho e distorcido. Wry era o nome de uma de nossas primeiras músicas de 1996.

TRANZINE - Como é a experiência de estar baseado no país de origem de tantas bandas importantes do rock, como os Beatles?
Mario - É inexplicável. É engraçado você estar no Hyde Park numa tarde pedindo um sorvete na barraquinha e quando olha do lado, está Paul McCartney pedindo o mesmo sabor. Ou então sentado numa mesa, num show do Libertines e na cadeira ao lado na mesma mesa esta Paul Cook do Sex Pistols. É fabuloso aliás, encontrar Ian Brown dos Stone Roses e ouvir ele dizer Wry. É lógico que ele nem lembra, mas ele disse. É muito massa viver aqui, é rock'n'roll o tempo todo. Dia após dia, hora a hora... Nossa TV fica ligada no Roco 24 horas por dia!

TRANZINE - Por falar em Beatles, o indie britânico ainda tem muita influência deles. E vocês, o que os Beatles significam para vocês?
Mario - Temos muita coisa na linha do baixo, eu acho. Amamos aquela coisa de "Rain" e "Tomorrow Never Knows", com um frequência ao contrário, tipo sons invertidos... Não sei, mas já teve gente que viu um pouco de Beatles na nossa música... Mas não tem muito não.

TRANZINE - Que show marcou vocês na Inglaterra? Por que foi um show marcante?
Mario - Os últimos shows que fizemos no Metro Club, o primeiro pro Dead Or Alive, que estava lotado e o povo incendiado esperando a gente, e estamos longe de Sorocaba. O segundo pela Fierce Panda, onde tinha o dono da gravadora que disse que gostou, achou a gente cool e vai ver outras vezes... Foi o primeiro beijo de um namoro....

TRANZINE - Quais são os melhores locais para tocar em Londres?
Mario -
Pra banda do nosso cacife os melhores lugares são Sonic Mook no On The Rocks, Club Fandango no Dublin Castle, ArtRocker no Bufallo Bar, Goo Goo Club no Buffalo Bar também, Bull and Gate e uns outros.

TRANZINE - Vocês costumam ir ao Brasil? Com que frequência?
Mario -
Faz menos de 2 anos que estamos aqui em Londres e já fomos no Brasil para 15 shows em agosto do ano passado. Estão pintando diversos convites pra irmos este ano, mas estamos vendo, pois nossa agenda aqui já está cheia até começo de agosto.

TRANZINE - A competição na Inglaterra deve ser muito acirrada... O que você tem a dizer sobre isso?
Mario -
Eu acho que no Brasil é mais difícil, sem dúvidas, no Brasil rock é coisa de vagabundo, aqui rock é coisa do Blair (Primeiro Ministro), rock está em todos os lugares, ROCK É INDÚSTRIA. Olha o tamanho do Brasil e o tanto de bandas de rock que temos. Não se fala em "olheiros" no Brasil, não se fala em caça-talentos e tal. Eu vivi anos no rock no Brasil e sei do que estou falando. Graças a Deus temos Los Hermanos que são ótimos, senão seria pior! Não estou falando do underground onde o Brasil tem MUITAS bandas boas também, mas do mainstream.

TRANZINE - O público inglês aceita bem as bandas brasileiras que cantam em inglês?
Mario -
NÃO EXISTE PRE-CON-CEI-TO. É um País de primeiro mundo. Londres é o polo musical do mundo. Nunca ninguém perguntou porque eu canto em inglês, pois não imaginam rock em português.

TRANZINE - É mais fácil para uma banda brasileira que canta em inglês ter mais chances de êxito na Inglaterra do que no Brasil?
Mario -
SEM DÚVIDAS. No Brasil não há chance nenhuma. As chances que tivemos e o sucesso que temos no Brasil foi TOTALMENTE underground.

TRANZINE - Que bandas legais inglesas ainda desconhecidas no Brasil você indica?
Mario -
The Rakes muito boa, uma coisa meio Joy Division / Television, Razorlight de Londres também ótima. The Rocks, garage dos bons, mas com melodia atualizada, não é garage antigo. Taxi da turma dos Charlatans / Coopers e The Cribbs de Leeds.

TRANZINE - O que você acha do Blair?
Mario -
Roqueiro querendo fazer parte da história pra se tornar inesquecível. Pretendente a partido dos trabalhadores, que não tem nada a ver com o nosso PT. Eu gosto dele.

CONFIRA ABAIXO O REMIX QUE FIZ

PARA A MÚSICA 'COME AND FALL' DO WRY

ATRAVÉS DO MEU PROJETO ELETRÔNICO ALIENCORE:

Qual a melhor música do Wry?
Deixe um comentário
abaixo

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR:

JON SPENCER BLUES EXPLOSION
Denis Kandle entrevista a banda em Londres

SNOOZE
Entrevista com Fabinho, vocal e guitarra da banda

DKANDLE
Confira entrevista de Denis Kandle para o site IMD

ASSINE PARA ATUALIZAÇÕES
SEJA INFORMADO EM PRIMEIRA MÃO SOBRE NOVAS EDIÇÕES 

Obrigado!

bottom of page